Este site é melhor visualizado em versões superiores ao IE 7. Por favor, atualize seu navegador.

Dr. Isaac Ramos
Oftalmologia Clínica e Cirúrgica
CRM-AL: 5089

Olho Seco

.

O que é olho seco?

Olho seco é um termo usado para descrever uma condição crônica dos olhos que apresentam: sensação de secura ou de “areia”, ardência, vermelhidão, coceira, peso nas pálpebras e fotofobia (sensibilidade à luz).

Estes sintomas resultam de um processo inflamatório crônico que causa alterações na lágrima. Esta pode estar reduzida em quantidade e/ou com sua qualidade deficiente, neste caso evaporando rápido demais.

Em condições normais a lagrima deve cobrir toda a superfície ocular após a piscada e permanecer assim por 10 segundos. Em pessoas com olho seco o filme lacrimal é quebrado antes destes 10 segundos (Break Up Time – BUT), ou seja, a lagrima evapora precocemente.

.

Sequencia de fotos mostrando a evaporação precoce da lagrima em um caso de olho seco.

Sequencia de fotos mostrando a evaporação precoce da lagrima em um caso de olho seco.

.

De que é formada a lágrima e qual sua função?

É constituída de: água, gordura e muco. Estes componentes são secretados em quantidades suficientes por glândulas especiais espalhadas na superfície do olho e nas pálpebras. Normalmente há um equilíbrio entre as quantidades de cada um destes componentes, e quando, por qualquer motivo, este equilíbrio é rompido, a qualidade da lágrima diminui e os sintomas começam a aparecer.

São funções da lágrima:

- Lubrificar, oxigenar e nutrir a superfície do olho;

- Formar uma superfície lisa e transparente sobre a córnea;

- Proteger os olhos eliminando partículas e microorganismos.

.

Quem pode desenvolver olho seco?

O olho seco acomete adultos de todas as idades principalmente indivíduos idosos, sendo as mulheres mais acometidas que os homens.

.

O que pode ocasionar olho seco?

1 – Envelhecimento. Com a idade há redução da quantidade e da qualidade da lágrima.

2 – Condições ambientais: vento, poeira, poluição, ar condicionado e baixa umidade do ar.

3 – Redução na frequência do piscar: atividades em computadores e defeitos nas pálpebras.

4 – Uso de lentes de contato.

5 – Alterações hormonais, mais comum nas mulheres, principalmente na menopausa ou após.

6 – Medicamentos: antialérgicos, anti-hipertensivos, anticoncepcionais, antidepressivos, tranquilizantes e outros.

7- Doenças: Artrite Reumatoide, Lúpus Eritematoso Sistêmico, Sarcoidose, Síndrome de Sjögren, Alergia, Diabetes, Infecções oculares (pálpebras e/ou glândulas lacrimais).

.

Exemplos de casos de ceratites (inflamação da córnea) causadas por olho seco em graus variados:

.

Olho Seco Leve

Olho Seco Leve

Olho Seco Moderado

Olho Seco Moderado

Olho Seco Severo

Olho Seco Severo

.

Qual o tratamento?

Cerca de 80% dos casos de olho seco variam de leve a moderado e obtém-se uma melhora significativa dos sintomas com o uso de colírios lubrificantes (Veja o vídeo abaixo).

.

Em casos mais resistentes ao tratamento, está indicada a oclusão do ponto lacrimal (orifício por onde a lágrima sai do olho), permitindo assim que ela fique mais tempo em contato com a superfície ocular. Esta oclusão pode ser feita por cauterização, suturas ou através de plugs especiais (Veja o vídeo abaixo).

.

.

Adicionalmente é importante tratar a causa do olho seco. Como sua origem é inflamatória, colírios que agem nesse mecanismo estão indicados em alguns casos. Além disto, a complementação oral de vitamina C e óleo de linhaça tem comprovação cientifica de que melhoram a inflamação e a qualidade da lagrima.

.

Exemplo de um caso de olho seco antes e após o tratamento:

Fig (5)

Padrão do filme lacrimal aos 10 segundos antes e após o tratamento.

.

.

.