Este site é melhor visualizado em versões superiores ao IE 7. Por favor, atualize seu navegador.

Dr. Isaac Ramos
Oftalmologia Clínica e Cirúrgica
CRM-AL: 5089

Presbiopia (“Vista Cansada”)

Classicamente, a Presbiopia (mais conhecida como “vista cansada”) tem sido considerada como a última barreira a ser vencida na oftalmologia. Isto se deve aos complexos mecanismos envolvidos na fisiopatologia da doença.

Em condições normais, pequenos músculos que temos dentro do olho, chamados músculos ciliares, tem a função de contrair sempre que olhamos para perto. No momento desta contração há um relaxamento da zônula de Zinn, e consequente mudança na forma do cristalino, aumentando sua capacidade de convergência e seu poder dióptrico, para dar o foco de perto. Este mecanismo é chamado de “acomodação”. Em torno dos 40 anos de idade todo este sistema inicia um processo de falência e o indivíduo começa a apresentar dificuldade para enxergar de perto. Este processo é progressivo, e piora com o aumento da idade, mas normalmente se estabiliza ao redor dos 60 anos. A esta condição damos o nome de Presbiopia.

Fisiologia da Acomodação – VÍDEO (Clique Aqui)

As causas da falência deste mecanismo são o enrijecimento da musculatura ciliar, associado ao aumento de tamanho e enrijecimento do próprio cristalino e de sua cápsula envoltória. Como se trata de um processo natural de envelhecimento do nosso organismo, não há como prevenir o aparecimento da Presbiopia.

Indivíduos com Hipermetropia e Diabetes Mellitus podem a apresentar a presbiopia mais precocemente, e indivíduos com miopia tendem a apresentar a presbiopia mais tardiamente (quanto mais miopia mais tarde apresenta).

Visão de perto embaçada na Presbiopia.

Visão de perto embaçada na Presbiopia.

.

Apesar de muito comum, esta doença não leva a cegueira e nem apresenta maiores complicações. A medida mais conhecida para corrigir este “defeito” apresentado pelo nosso organismo é através do uso de óculos com lentes corretoras, sejam elas multifocais (foco em todas as distancias), bifocais (foco longe e perto) ou monofocais (apenas para perto). Outra opção com resultado bastante satisfatório é o uso de lentes de contato multifocais.

Até pouco tempo atrás estas eram as únicas opções para corrigir a Presbiopia, e além do mais, são medidas apenas paliativas, uma vez que ao retirar os óculos ou as lentes de contato o problema continua. Atualmente, já existem tratamentos cirúrgicos com excelentes resultados para corrigir a Presbiopia. As grandes vantagens de se submeter a um destes tratamentos são a resolução do problema de uma forma definitiva, e a independência do uso de óculos após a cirurgia.

Os procedimentos com melhores resultados e comprovação científica são: implante de lentes intra-oculares multifocais; implantes de lentes intra-corneanas (Inlays); aplicação de laser de forma personalizada na córnea; e em alguns casos a combinação de 2 destes procedimentos. Não existe um tratamento padrão (tipo “receita de bolo”) para todos os pacientes, a avaliação pré-operatória deve ser criteriosa e individualizada para a escolha da melhor opção para cada caso.